Aprender línguas sem gastar dinheiro

Uma das perguntas que mais me fazem em sessão de carreira é se a segunda será necessária para o processo seletivo e se o profissional deve ou não fazer um curso de melhoria da sua segunda língua para poder procurar trabalho em Portugal.

A resposta que usualmente dou é se o empregador pedir como requisito a língua, isso significa que em algum momento do processo seletivo o nível vai ser validado. Em muitos processos de seleção, mesmo que o profissional fique a trabalhar em Portugal com equipas multiculturais onde estão portugueses também, as entrevistas de emprego são sempre realizadas na língua de trabalho, usualmente o Inglês. Portanto, a língua é importante e diria que para algumas funções fundamental sendo a seleção feita na língua em que a profissão vai ser desempenhada.

Será importante validar o seu nível segundo os níveis europeus ou pode ler mais sobre os níveis europeus de avaliação de conhecimento de línguas e como um profissional se pode posicionar de forma adequada numa entrevista de emprego.

Continuar a ler Aprender línguas sem gastar dinheiro

Vamos conversar sobre línguas?

Os portugueses são conhecidos na Europa por terem uma habilidade extraordinária para falar línguas, no meu caso que sou considerada um C2 a Inglês (não se preocupe que já lhe explico o que isso significa!), perguntam-me com alguma frequência onde adquiri um nível tão alto e há uma espécie de incredulidade quando conto que nunca tive aulas específicas para a língua, mas apenas o conhecimento e prática adquiridos ao longo do ensino.

Na verdade, creio que a nossa habilidade adicional para a aprendizagem de outras línguas não se explica simplesmente com o nosso ensino escolar, embora goste de ver o ar surpreso na cara da outra pessoa.

Continuar a ler Vamos conversar sobre línguas?